NotíciasComo se Vaporiza (parte 3): Vaporizar haxixe num VapCap ‘M’, Firefly 2, Pax 3 & Mighty

Azarius

  • $

$ 0, -

0,00 US$

Como se Vaporiza (parte 3): Vaporizar haxixe num VapCap ‘M’, Firefly 2, Pax 3 & Mighty

19-12-2017 - 4 Comentários

Esta é a parte final da minha trilogia sobre a vaporização de haxixe. Irei aqui discutir os resultados de vaporizar haxe numa variedade de vaporizadores portáteis que se encontram disponiveis no mercado. Cubri uma boa faixa de preços; começando pelo muito razoável VapCap M, até ao dispendioso Firefly 2. Pelo meio, também testei o Pax 3 e o Mighty.

Poderão interessar-te as duas partes anteriores da trilogia; Parte 1: What is hash? y Parte 2: General Tips [link] (for vaping hash).

hash vaporizer test line-up

Conforme descrito nas minhas dicas gerais para a vaporização de haxixe, eu usei um haxe tipo pólen que eu desfiz usando uma faca pesada numa tabua de cozinha.

Inicialmente, eu tinha 0.6 gramas de haxe Amnesia Haze e pensei que seria uma boa ideia dividir em quartas parte. No entanto, depois de desfazer a primeira parte ficou claro que era haxe a mais para caber nos fornos dos diferentes vaporizadores. Acabei por usar cerca  0.1 gramas para cada vaporizador.

Nos meus testes iniciais com resina, descobri que obtinha mais inalações do que normalmente consigo com erva seca.

Eu recomendaria usar o melhor haxe de pólen de qualidade (ou keif) que possas arranjar. Seguramente não vais querer nenhum contaminante no teu vaporizador. Eu obtive os melhores resultados com um haxe de cor clara (pólen) que se desfaz facilmente, o haxe mais resinoso também funcionou, mas eu não consegui desfaze-lo bem.

Amnesia Haze hash

Outra recomendação é adquirir alguma fibra de cânhamo desgomada (degummed hemp fibre). O haxe vai derreter e sujar bastante o teu vaporizador se não estiver protegido pela fibra de cânhamo.

Eu fotografei o "antes e depois" de cada experiência para que possas ver o que te espera. Fiz o meu teste na ordem que é apresentada aqui e aprendi lições valiosas ao longo do caminho. Alguns vaporizadores funcionaram melhor do que outros e um não funcionou de todo.

PAX 3 vaporizer

PAX 3

O PAX 3 lidera o caminho no que diz respeito a vaporizadores portáteis bonitos que não apenas tem bom aspecto mas que também funcionam bem. Este vaporizador inclui um recipiente/cartucho para inserir na camara de ervas e que podes carregar com concentrados e óleos. Eu usei haxe desfeito.

Carregar este cartucho foi de longe o mais complicado. Eu inseri alguma fibra de cânhamo na base, de maneira a conseguir retirar facilmente todo o haxe depois de ter sido aquecido a uma temperatura elevada.

Eu tive que aconchegar o cânhamo em torno das duas aberturas que estão incorporadas no cartucho para o fluxo de ar. Depois, colocar o haxe em cima do cânhamo não foi fácil - usei a lâmina de uma faca afiada para recolher o haxe desfeito e coloca-lo dentro do recipiente. 

PAX 3 with hash 1 PAX 3 with hash 2

Inicialmente, eu ajustei a temperatura na configuração máxima para "concentrados". O primeiro bafo foi completamente frio, mas mesmo assim obtive uma nuvem densa. Senti o cheiro de haxe fresco - não como o cheiro de haxe a arder como quando se usa um cachimbo. Em seguida, reduzi a temperatura para a configuração média e desejei ter começado por uma temperatura baixa e ir subindo aos poucos - como normalmente faço com a erva. Mais uma vez, obtive bons resultados.

Como previsto, fiquei muito high. Eu percebi que inalar de novo, mesmo depois de ter desligado o aparelho, ainda permite resultados. Eu suponho que isso se deva ao fato de que o pequeno recipiente de metal dentro do forno é aquecido por condução.

Eu estava bastante high o suficiente, mas queria terminar este testa ainda esta noite ou então esta experiência levaria semanas. Antes de dar outro bafo, eu espreitei dentro do forno. O pó fino que existira antes havia sido obliterado e agora era uma massa solidificada que parecia mais resina do que o pólen. Isso acontecera principalmente na fibra de cânhamo, mas uma parte havia entrado no respiradouro que leva ao tubo que sobe para a boquilha - felizmente não chega lá, graças a uma placa de metal que bloqueia tudo exceto o vapor.

Ficou bastante claro que eu precisaria proteger as áreas quentes expostas em cada vaporizador que iria usar.

PAX 3 hash after

Voltei a ligar o Pax e, depois de aquecer, dei mais três saborosos bafos de haxe que me pareceram de tão boa qualidade como os primeiros que dei. Fiquei com a impressão que esta configuração me iria proporcionar ainda muitas mais boas baforadas. Decidi por isso experimentar um pouco mais antes de me ir deitar. Claramente o Pax 3 passara o teste com muito boa nota.

No dia seguinte, continuei a dar-lhe. Comecei com uma temperatura mais baixa e fui subindo até a temperatura máxima e obtive umas nuvens saborosas durante todo a sessão.

Finalmente, pareceu deixar de produzir nuvens. Eu notei que a bateria ainda estava no nível total. A coisa boa sobre o recipiente para os concentrado do PAX 3 é que podes removê-lo caso te apeteça variar e vaporizar um pouco de erva em vez do haxe. Com os outras três vaporizadores que testei, essa opção não é possivel.

Resultados do PAX 3 com haxe

Facilidade de carga 3/5

Qualidade das nuvens 4/5

Sabor 4/5

Facilidade de limpeza 3/5

Geral  3.5/5

Mighty da Storz & Bickel
 

Para carregar o Mighty, inseri a “almofada para liquidos”. É como um esfregão de aço para a louça mas mais compacto, que cabe perfeitamente no forno do vaporizador. Depois de ver os resultados da vaporização de haxe com o PAX 3, decidi colocar uma camada de fibra de cânhamo sobre a almofada de metal e, em seguida, cerca de 0,1 g de haxe desfeito. Coloquei outra camada de fibra de cânhamo - para proteger a rede da boquilha.

Mighty with hash

Pequenos pedaços de haxe caíram em torno da calha que rodeia o forno, e por isso foi preciso retirá-los. Esta é uma das poucas críticas que tenho a fazer ao Mighty, e que também acontece por vezes quando uso erva.

Decidi ajustar o dispositivo para 200℃. Dei três grandes bafos. Como esperado, o resultado foi nada menos que espetacular. Todos os três bafos foram fortemente densos com um sabor rico de haxe na minha boca - não muito diferente do sabor do haxe quando o mordiscas.

Abri o Mighty para ver o que estava a acontecer por dentro. Fez-me lembrar uma fralda - embora sem o cheiro desagradável. Numa inspeção mais próxima, foi incrível ver como a consistência do haxe mudou. Parecia mais resina. Fiquei satisfeito com o fato da fibra de cânhamo ter prevenido que o haxe derretido se infiltrasse na almofada e rede da boquilha.

Mighty hash after

Liguei o Mighty novamente e esperei que a temperatura subisse para os 200°C pré-selecionados. Os bafos resultantes foram todos agradáveis, porém, após o terceiro, o sabor estava ligeiramente mais leve do que os anteriores.

Comparado com o PAX, praticamente supera-o em tudo - exceto na embalagem super elegante. Se não te fizer diferença o formato maior e o facto de não se poder carregar via USB, então realmente não podes dispensar o Mighty, o preço não está muito distante da maioria dos vaporizadores portáteis mais chiques no mercado e, uma vez que tenhas um irás apreciar o facto de ter pago esses 10 euros a mais.

Eu consegui mais alguns bafos a 210°C (temperatura máxima) antes de ir dormir. O sabor mudou um pouco e ficou claro que eu já tinha esgotado a erva e por isso parei. Ao abrir o aparelho, era evidente que o haxe tinha sido bastante vaporizado. A fibra de cânhamo manteve tudo limpinho.

Resultados do Mighty com haxe

Facilidade de carga 4/5

Qualidade das nuvens 5/5

Sabor 5/5

Facilidade de limpeza 5/5

Geral  5/5

Firefly 2
 

Para cargar, inseri uma almofada para concentrados, depois coloquei uma camada de fibra de cânhamo e em seguido o haxe desfeito. Não vi necessidade de adicionar outra camada de fibra sobre o haxe como fiz no Mighty. De todos os vaporizadores, este foi o mais fácil de preparar.

Firefly 2 with hash open Firefly 2 with hash closed

O Firefly 2 realmente parece cool, mas é bom para vaporizar haxe?

Receio que não.

Eu configurei o meu Firefly para 200°C - conforme o meu teste com o Mighty -, mas eu não consegui obter nada que se assemelhasse a uma nuvem. Eventualmente, eu tive que parar quando os botões estavam a ficar tão quentes que era desconfortável segurar no aparelho. Eu insisti um pouco e tentei novamente, usando a mesma técnica que eu uso para ervas e concentrados - um bafo bem longo e lento. Eu estava a achar difícil conseguir um bom fluxo de ar.

O estranho foi que o haxe parecia ter derretido como nos outros dispositivos. Eu senti-me um pouco high, por isso deve ter resultado de alguma maneira. Eu simplesmente não consegui obter as nuvens bem definidas e o sabor forte do haxe como no Pax e no Mighty.

Eu reduzi o calor para 180°C e suguei como um louco, como se estivesse a tentar acender um enorme charuto com um fósforo minúsculo.

Ainda quase nada.

O fato de eu não conseguir sequer dar um bafo fez-me pensar que talvez o problema fosse a combinação da almofada de concentrados e da fibra de cânhamo. Não há como não usar a fibra de cânhamo com haxe no meu Firefly 2, então decidi remover a almofada de concentrados - depois de esperar que esfriasse. Tentei novamente a 180°C, sem qualquer resultado e depois novamente a 210°C. Nada ainda.

Abri tudo novamente para verificar o que estava a acontecer. O haxe tinha derretido, mas eu não estava a beneficiar dos deliciosos canabinoides que deveriam ter sido liberados. Na verdade, o haxe e a fibra pareciam ter subido dentro do forno e estavam presos ao vidro na janela superior. Percebi que a combinação do haxe e fibra deve ter bloqueando o fluxo de ar de alguma forma. Parece que vaporizar haxe num Firefly usando esta técnica não funciona. Eu senti-me um pouco high, mas eu também fiquei a sentir-me bastante frustrado e desapontado - por isso desisti.

Firefly 2 hash afterwards

Fiquei muito surpreendido por o Firefly 2 me ter decepcionado. Talvez eu esteja a esqueçer-me de algo óbvio e haja mesmo uma maneira de vape haxe no Firefly 2, mas eu não consegui descobrir como.

Se souberes de uma maneira, avisa-me por favor nos comentários e irei experimentar novamente e atualizar este artigo de acordo com os novos resultados. 

Foi fácil carregar e limpar depois, mas se não conseguires nenhum vapor, qual é o objetivo? Portanto, a pontuação geral é 1, porque me senti um pouco high (mas nada que se pareça com os testes dos outros dois vaporizadores). Apesar do ligeiro high, não vi sinais visiveis de liberação de vapor.

Resultados do Firefly 2 com haxe

Facilidade de carga 5/5

Qualidade das nuvens 1/5

Sabor 1/5

Facilidade de limpeza 4/5

Geral  1/5

DynaVap VapCap “M”
 

O DynaVap VapCap “M” é um ótimo vaporizador, pouco dispendioso, que aqueces com um isqueiro em vez de confiares na energia de uma bateria. Ele é ótimo para erva seca e tem já muitos fãs.

Carregar com o haxe foi um pouco complicado devido ao tamanho pequeno da abertura do vaporizador. Usei o DynaStash - um acessório/caixa de madeira que é vendido separadamente - para segurá-lo na posição vertical e introduzi o haxe com a ajuda da extremidade afiada de uma faca.

Primeiro, inseri alguma fibra de cânhamo e depois adicionei 0,1 gramas de haxe desfeito.

VapCap M open VapCap M with hash

Eu sabia que isto iria funcionar porque já o usei antes para vaporizar haxe. Apesar de todas as facilidades que os outros vaporizadores oferecem - com os seus controles de temperatura e conexões Bluetooth - é bastante refrescante voltar ao básico.

Em princípio, vaporizar haxe no VapCap não está muito longe da inalação do fumo de haxe que foi mantido entre duas facas quentes, um método que experimentei anteriormente. Os resultados também são semelhantes, embora o processo seja um pouco mais elegante com o VapCap.

Com erva, normalmente obtenho duas boas nuvens saborosas do meu VapCap, seguido de outras duas nuvens, razoáveis mas não tão agradáveis, antes de ter que recarregar. Com haxe é diferente e consegui "espremer" pelo menos seis (talvez mais, eu não estava no melhor estado para contar) boas nuvens de hash antes que o gosto começasse a mudar e se tornasse desagradável o suficiente para me fazer parar.

VapCap M with molten hash

Depois de remover o haxe gasto e a fibra de cânhamo, notei que havia um pouco de haxe fundido no interior da tigela/forno que precisaria ser limpo. No entanto a fibra de cânhamo impediu o haxe de entupir as pequenas aberturas.

VapCap M end result

Se quiseres um vaporizador portátil barato que te liberte das restrições de ter que ter um fornecimento de eletricidade, o VapCap é a tua melhor opção. Se não te importares de lidar com isqueiros/lança-chamas e arriscar ficar com os dedos queimados.

É ótimo para usar com erva e também para haxe. É uma introdução perfeita à vaporização para aqueles com um orçamento apertado e é um segundo vaporizador perfeito para aqueles que já possuem um vaporizador que não funciona bem com haxe - estou a olhar para vocês, ricos proprietários do Firefly 2 que estão a ler isto.

Pelo preço, realmente não te vais dar mal com um VapCap. Ao fim e ao cabo, o que importa são as nuvens e o VapCap "M" certamente proporciona boas nuvens.

Resultados do VapCap “M”

Facilidade de carga 3/5

Qualidade das nuvens 5/5

Sabor 5/5

Facilidade de limpeza 5/5

Geral 4.5/5

 

Conclusão final

 

E assim concluo a minha trilogia sobre a vaporização de haxixe. Que viagem! A principal conclusão aqui é que a vaporização de haxe é possível e pesada. Se tens problemas para dormir, talvez seja algo que deves tentar.

Se seguires as dicas gerais [link], imagino que poderias espremer algumas nuvens de vapor do teu hash com a maioria dos vaporizadores. Dos quatro que testei, existem apenas dois concorrentes a sério. O Mighty e o VapCap. Se puderes investir, eu recomendo o Mighty. É realmente excelente, o melhor vaporizador portátil que usei até hoje. Para aqueles com um orçamento mais apertado ou que procuram apenas um segundo vaporizador, então um VapCap é a opção ideal.

Quanto aos outros dois concorrentes. Esquece o Firefly 2 para vaporizar haxe. Não consegui fazer nada com ele. O PAX 3 funcionou bem, mas foi complicado demais carregar e limpar, para o recomendar especificamente para o uso com haxe.

Qual é a tua experiência com vaporização de haxixe? Existem outros vaporizadores portáteis que recomendas para usar com haxe ou alguma boa dica que os outros precisam saber?

Bill Griffin, Autor de Easy Organic Weed

Todas as imagens por Bill Griffin



Comentários

  • Volcanicash 07-04-2018 10:23:23

    Corrected text
    FF2 works fine without concentrate pad and a pipe screen on top of the hash to keep it down, as well as from flying all over the mirror. This is done by bending and flattening the screen to secure hash. You keep bowl and mirrors clean with rubbing alcohol. You also have the pleasure of harvesting the condensate every few puffs.

  • Contraradio 01-05-2018 17:59:55

    Really curious about using the degummed hemp fiber technique with the DaVinci IQ!
    Could you please consider testing this? I would like to buy a small slick portable vaporizer, but I only want to use it for hash/hasj, don't want a pen or butane needed vaporizer. ;)

  • Raoul 08-06-2018 06:47:08

    Hey...Thanks for the article....was looking for something like this for awhile....i have tried but am not able to get my hands on degummed hemp fibre here ....do you think normal cotton (drug store kind) would be a workable replacement or can you suggest an alternative...Thanks

  • johnboy 07-07-2018 21:46:24

    tried the cotton on the pax3 waiting on the fibre, but I cant even get a decent puff out of it in both chambers, Im really dissapointed in the pax 3 its 220 ffs. Help man


Junta comentário

Tens pelo menos 18 anos de idade?

Para visitar a nossa webshop, tens de confirmar que tens pelo menos 18 anos de idade.