EnciclopédiaÓpio

Azarius

  • $

$ 0, -

0,00 US$

Ópio - Enciclopédia

Mostrar menu Fechar menu

Ópio

1 Comentários

O que é o ópio?

O ópio é uma droga narcótica obtida das vagens das sementes ainda não amadurecidas da papoila do ópio (Papaver somniferum L. ou Paeoniflorum). Quando arranhada, a vagem produz um látex leitoso chamado ópio. Este látex contém uma variedade de opiáceos, incluindo a codeína e a morfina. Tem uma longa história de uso na Ásia e na Europa.

História

O ópio foi um dos principais itens de troca durante séculos, e é usado como analgésico e sedativo desde há muito. Era popular entre os Gregos, que o denominaram “opion” (sumo da papoila), de onde derivou – por latinização - o presente nome.

A imagem da cápsula da papoila era um atributo das divindades, muito antes do ópio ser extraído do seu látex leitoso. Na galeria de relevo assírio do Metropolitan Museum de Nova Iorque, uma divindade alada numa escultura em baixo relevo do palácio do rei Ashurnasirpal II, em Nimrud, Bagdá, dedicada em 879 A.C., segura um ramo de cápsulas de papoila, descritas pelo museu como “romãs”.

O ópio pode ser fumado, por vezes juntamente com tabaco. Fumar ópio era muitas vezes associado às comunidades de imigrantes chineses em todo o mundo, com as “salas de fumo de ópio” tornando-se componentes notórios de muitos bairros chineses no estrangeiro.

No século 19, o tráfico de ópio da China para a Índia, sobretudo pelos Britânicos, foi a causa das guerras do ópio. Levou ao domínio britânico da cidade de Hong Kong e ao que os Chineses chamam “o século da vergonha”. Este comércio ilegal tornou-se uns dos comércios mais valiosos de um produto apenas, e foi descrito pelo eminente historiador da universidade de Harvard, John K. Fairbank, como “o crime internacional dos tempos modernos mais duradouro e sistemático”.

Não havia restrições legais à importação ou uso do ópio nos Estados Unidos antes do projeto-lei Harrison para o imposto de drogas, em 1914. Os medicamentes continham frequentemente ópio sem qualquer aviso. Hoje em dia, existem numerosas leis nacionais e internacionais que regularizam a produção e a distribuição de substâncias narcóticas. O artigo 23 da convenção de drogas narcóticas requer que as nações produtoras de ópio designem uma agência governamental que tome posse física das safras legais de ópio logo após a colheita, e conduza toda a venda grossista e a exportação das mesmas. O uso farmacêutico do ópio é estritamente controlado mundialmente, e o uso não farmacêutico é normalmente proibido.

Botânica

A planta é herbácea, anual e ereta; a cor das flores varia muito, assim como a forma dos frutos e a cor das sementes. Todas as partes da planta, mas sobretudo as paredes das cápsulas, ou as veias das sementes, contêm um sistema de veias lactíferas, cheias de um látex branco. As flores variam em cor desde o branco puro ao roxo avermelhado. Na planta selvagem, são lilás pálidas com um ponto roxo na base de cada pétala.
As cápsulas variam muito em forma e tamanho. São normalmente hemisféricas, mas deprimidas no topo, onde a estigma raiada ocupa o centro; têm um anel em baixo, onde a cápsula se une ao caule. As pequenas e numerosas sementes em forma de rim estão ligadas a projeções laterais das paredes interiores da cápsula, e variam em cor desde o branco ao azul acinzentado. As cabeças são verdes pálidas quando novas.

O ópio é extraído das cabeças das papoilas antes destas amadurecerem, e das papoilas cultivadas no este. As papoilas cultivadas na Europa têm baixas safras da droga.

Química

O alcaloide principal, tanto em relação à sua importância medicinal como à quantidade em que existe, é a morfina. Em comparação, a narcotina e a codeína têm importância secundária. Entre os numerosos alcaloides restantes, que formam apenas 1% da droga, constam a tebaína, a narceína, a papaverina e a codamina.

Efeitos

Os efeitos do ópio são quase imediatos. Duram 2-3 horas, dependendo do tamanho do corpo pessoa, da tolerância e da quantidade fumada.

Uso médico

O ópio é descrito como narcótico. Historicamente tem sido receitado como analgésico, contra inflamações desacompanhadas de dispneia, tifo, tifoide e varíola, etc.

Variedades

Uso

O ópio é extraído das cabeças das papoilas antes destas amadurecerem. Quando as pétalas caem das flores, são feitas incisões nas cabeças das cápsulas, cuidadosamente para não penetrarem no interior. O sumo escoado, parcialmente seco, é recolhido em lascas – as lascas formando eventualmente bolinhas, as quais são embrulhadas em folhas de papoila ou papel e deixadas a secar ao sol, o sumo branco leitoso escurecendo durante a secagem.

A melhor maneira de fumar ópio é num bongo. Este queima a uma temperatura mais alta que o haxixe ou o tabaco, por isso mantém o teu isqueiro o mais quente possível. Começa com uma porção de ópio do tamanho da cabeça de um fósforo por pessoa, e depois podes aumentar se necessário. Dependendo dos efeitos que sentires podes decidir se a dose é suficiente para ti.

Avisos

O ópio é uma substância viciante.
É possível sofreres uma overdose de ópio.

Contra-indicações

Misturas

Cultivo

Armazenagem

Ligações / Ler mais

Geography and Opium: Geopium (English/Français)
Purdue University - Papaver somniferum
Poppies.org

Referências

Este artigo baseia-se nas seguintes páginas:

Wikipedia on opium
Erowids Opium poppy Vault
Botanical.com on opium
Lyceaum Opium FAQ



Comentários

  • charuteiro 08-11-2009 22:54:42

    Gostava de saber como se faz o ópio e o que se adiciona para poder fum,ar na prata


Tens pelo menos 18 anos de idade?

Para visitar a nossa webshop, tens de confirmar que tens pelo menos 18 anos de idade.